O desmatamento para soja na Amazônia cresceu 86% neste ano

19/10/2011 17:23

Por Viviane Rosas e João Ximenes

 

A moratória é um acordo pelo qual as empresas que comercializam o grão são proibidas de financiar ou comprar soja de novas áreas desmatadas da Amazônia. Apesar da moratória da soja ter sido instituída em 2006, os desmatamentos ainda crescem.

Grupo de Trabalho da Soja, formado por exportadores, ONGs e governo anunciou semana passada a prorrogação deste acordo até janeiro de 2013.Foi feito monitoramento em Paraná, Mato Grosso e Rondônia, estados produtores do grão na floresta, e segundo dados por satélite feitos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), a área desmatada com soja subiu de 6.295 hectares em 2009-2010 para 11.698 hectares em 2010-2011. Isso é o que equivale aproximadamente 14.000 campos do estádio Maracanã.

A Ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, afirmou que o desmatamento é "residual" e que a situação já está "controlada". E voltou a culpar pelo pico na devastação a discussão sobre a reforma no Código Florestal na Câmara, no primeiro semestre, que criou no setor produtivo uma expectativa de anistia a desmates ilegais.

"Para a gente foi importante a continuidade da moratória, porque ela diminui a fonte de pressão sobre o Código Florestal no Congresso", disse Paulo Adário, do Greenpeace. Segundo ele, a moratória funciona como uma sinalização para os senadores que hoje analisam a reforma na lei florestal que um grupo importante do agronegócio exportador não quer mais desmatamento.

A Ministra disse também que o ministério deve lançar, até o fim do mês, o Cadastro Ambiental Rural. Esse cadastro ajudará a identificar os produtores que estão em situação irregular.

Existem sites como o http://www.globoamazonia.com/ e http://www.amazonia.org.br/ que monitoram a situação da Amazônia, em relação aos desmatamentos pela plantação de soja, pelos cortes das árvores para a utilização da madeira e as queimadas desenfreadas com o fim de criar pasto para gado, como também, fatos curiosos e interessantes sobre a região.